Get Adobe Flash player
001_Postal
002_Postal
003_Postal
004_Postal
01 (2)
01
04
05
06 (2)
06
07 (2)
07
08
09
10
11
12 (2)
12
13
14
15
18
20
21
23
23042009069
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
38
39
40
41
42
43
44
45
A-Descri��o Ilha de Mo�ambique
B-Postal Ilha de Mo�ambique
C-Ilha de Mo�ambique
D-Ilha de Mo�ambique
E-Ilha de Mo�ambique
F-Ilha de Mo�ambique
G-Ilha de Mo�ambique
Gorongosa3b
H-Ilha de Mo�ambique
I-Ilha de Mo�ambique
J-Ilha de Mo�ambique
K-Fazenda Muchelia
L-Fazenda Muchelia
M-Fazenda Muchelia
N-Fazenda Muchelia
O-Fazenda Muchelia
P-Fazenda Muchelia
Q-Fazenda Muchelia
R-Fazenda Muchelia
S-Fazenda Muchelia
T-Fazenda Muchelia
U-Fazenda Muchelia
V-Reformados da fazenda
X-A caminho da fazenda
Z- A caminho da fazenda
ZAA- Chegada a Nampula
ZAB-Viagem Nampula-Ilha
ZAC-Viagem Nampula-Ilha
ZAD-Viagem Nampula-Ilha
ZAE-Viagem Nampula-Ilha
ZAF-Viagem Nampula-Ilha
ZAG-Viagem Nampula-Ilha
Eventos APM

Novas iniciativas da APM brevemente!

Donativos

Para promover o desenvolvimento cultural, cívico, económico e social de ambos os povos português e moçambicano torna-se necessário o seu contributo, o seu donativo, seja benemérito, apoie esta Associação transfira o seu valor pequeníssimo que seja, para as contas abaixo indicadas e dê-nos, se assim o entender, os seus elementos identificativos.

Banco Espírito Santo(BES)

 

NIB

 

0007 0404 00133490007 85

 
Ficha de Inscrição

Ficha de Inscrição para Sócios

Download versão docx

Download versão Word97/2003

    
Inicio > Crónicas > O "Assalto" ao Srº Ministro

postheadericon O "Assalto" ao Srº Ministro

 

O “ASSALTO” AO SR. MINISTRO

Esta história não é “do tempo em que os animais falavam” ou em que “as galinhas tinham dentes”, mas tão antiga que havia “serviço militar obrigatório” ! Imaginem a violência ! O dito serviço esperava também os jovens mancebos “aptos para todo o serviço”, no final da sua licenciatura, tendo de frequentar o COM (Curso de Oficiais Milicianos): 6 meses, a somar aos de espera pala 1ª incorporação), o que era um considerável “atraso de vida”.
Por simpatia do General Arnaldo Schultz, fundador da Milícia (da Mocidade Portuguesa) foi criado o CEPM (Curso Especial de Preparação Militar) que facultava a possibilidade de substituir os 6 meses do tal COM  por um regime de “prestações”, às 4ªs e Sábados, durante 3 anos, com inclusão de um “acampamento” de 2 meses no Verão. Muitos contemporâneos nossos aproveitavam esta facilidade, ingressando directamente no tal serviço militar (à data 1,5 anos) logo a seguir à conclusão do curso; a frequência do CEPM era facultativa, com excepção dos candidatos ao ingresso na Academia Militar, que eram “obrigatoriamente voluntários” !

De entre estas jovens “esperanças” havia elementos do OUP que foram confrontados com a trágica perspectiva de serem impedidos de participar na digressão a Moçambique ! A maioria participava nas “variedades”, sendo alguns dificilmente substituíveis, pelo que a sua ausência poderia comprometer a qualidade do espectáculo. Um primeiro requerimento ao Ministro do Exército, subscrito pela Direcção do OUP e encaminhado com o apadrinhamento do nosso Reitor (e protector) e acompanhamento do Sr. Ministro da Educação, Prof. Dr. Leite Pinto, mereceu um despacho com um redondo “não” !

Inconsoláveis e inconformados com tal perspectiva de se perder tão aliciante oportunidade e incentivados pelo Sr. Reitor (quase tão condoído como nós !) que nos muniu das credenciais convenientes, eis que uma delegação de quatro dos visados (um dos quais, o Serrano, sendo natural de Lourenço Marques, vislumbrava ainda aproveitar para visitar a Família) avançou para Lisboa para tentar que o nosso Ministro nos abrisse as portas mais convenientes. O meu Pai, sempre “compincha”, colaborou emprestando o carro para avançarmos de imediato numa “directa” para a Capital o que, só por si, era já (então) uma aventura: quem se lembra do “fadário”, antes de haver auto-estradas ?
Chegámos ao Ministério quase ao fim da manhã; estacionámos o carro “às 3 pancadas” (mas sem criar problemas de trânsito !), correndo para o interior do edifício do Ministério, no interior do qual havia uma ampla e imponente escadaria que dava acesso à sala de espera que dispunha de janelas sobre a dita escadaria. O “contínuo”, impecável na sua farpela e que nos recebeu com a maior simpatia, pediu-nos que esperássemos, pois seríamos recebidos “logo que possível” (expressão portuguesa que significa “não se sabe quando”!); de facto, qual não é a minha surpresa quando, ao debruçar-me numa das janelas para dar “duas puchas”, vejo Sua Ex.ª e demais comitiva a descer a tal escadaria, deixando-nos “pendurados” ! Se calhar nem teria, sequer, sido informado da nossa chegada.

Alertada a malta, precipitamo-nos pela escadaria, no que íamos sendo impedidos pelo tal contínuo, que foi de roldão à nossa frente; chegados à porta, já o carro ministerial arrancara ! Sem mais hesitações fui a correr buscar o meu, felizmente perto, lançando-nos em feroz perseguição do carro de Sua Ex.ª que, com bastante sorte, alcançámos ao fim de alguns momentos !
Pouco depois apercebi-me que o motorista, olhando repetidamente pelo retrovisor, dava mostras de ter notado que estava sendo perseguido, tendo parado bruscamente à porta duma Esquadra da PSP, para onde se dirigiu, correndo ! Simultaneamente o Mesquita Guimarães (trajando a “capa e batina”, cuidado que tivemos todos, pois poderia ser conveniente) saltou do carro, dirigindo-se ao Ministro, batendo ao vidro, mesmo do seu lado, ao que ele correspondeu, meio hesitante, meio divertido, mandando-o entrar e sentando-o a seu lado !
O motorista, que nunca ouvira falar de “carJacking” (ainda não tinham chegado as “novas tecnologias”!), percebeu que se não tratava de vulgares assaltantes ou terroristas, regressou à viatura, retomando a marcha, seguindo nós, placidamente atrás, a caminho de S. Bento. O stress não acabara, apenas porque não houvera tempo para reabastecer o carro, quase sem gasolina, correndo nós o risco de ficarmos “engasgados” a todo o momento e perdermos o rasto ao Ministro mai' lo nosso colega ! Foi tudo “adrenalina” !
Finalmente e para nosso grande alívio o carro quedou-se já perto de S. Bento, saindo o Mesquita Guimarães que se despedia com um cordial aceno, deixando perceber que a conversa decorrera de forma afável e que tinham ficado “íntimos”! A sua diplomacia parecera ter sucesso, acabando da melhor forma o nosso assalto (mais tarde copiado pelo Henrique Galvão, no sequestro do Stª. Maria !).

Seguindo a estratégia sugerida pelo Sr. Ministro e após contacto seu com o Ministro do Interior, precisamente o tal General Schultz (pai do CEPM e, portanto, sempre com um “fraquinho” pela “sua malta”) foi marcada uma entrevista na expectativa de que seria a pessoa indicada para engendrar uma saída e a defender, com sucesso junto do famigerado Ministro de Exército, casualmente seu amigo ! A “cunha” tinha sido tão eficaz que fomos recebidos em sua casa (em obras e com os móveis cobertos de lençóis, facto de que se desculpou, cordialmente), e com ele em mangas de camisa ! Só faltou bebermos um copo ! Com um grande sorriso, gracejou:
       “... com que então, foram vocês que assaltaram o Ministro da Educação ?!...”
acrescentando que nos corredores ministeriais se não falava de outra coisa !

A solução encontrada passou por solicitarmos a perda daquele ano do CEPM, a repetir no ano seguinte, o que não prejudicou ninguém e, muito menos, a Pátria ! Para nós tal “chumbo” não manchava o nosso currículo !
Assim se conseguiu a minha primeira anulação (e não a única- isso é outra história) dum despacho do Ministro do Exército e se alcançou o objectivo de participarmos na digressão a Moçambique, a contento também da Direcção do OUP que assim viu resolvido, também, o seu problema.
Na época a “capa e batina” abria muitas portas, confirmando a velha máxima de que (quase sempre) “o hábito faz o Monge”, além de que, também,…”quem tem capa, sempre escapa” !



Armando MG                                                                                                         
28. Agosto . 2008

 

Actualizado em (Quinta, 27 Maio 2010 16:39)

 
Faixa publicitária
Publicidade
Galeria de Eventos
  • "Moçambique - Imagens de um país real..." - Exposiçao de Fotografia de Ana Rita Martins

  • "Comemoração do Dia 4 de Outubro, Dia da Paz em Moçambique e Dia 5 de Outubro, Implantação da Republica"

  • Encontro Sectorial Moda AESE - 28 de Novembro
    Participação de
    duas estilistas
    Moçambicanas
    (Sheila e Adélia Tique)

  • "Escritaria 2011- Mia Couto com a participção da APM"!