Get Adobe Flash player
001_Postal
002_Postal
003_Postal
004_Postal
01 (2)
01
04
05
06 (2)
06
07 (2)
07
08
09
10
11
12 (2)
12
13
14
15
18
20
21
23
23042009069
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
38
39
40
41
42
43
44
45
A-Descri��o Ilha de Mo�ambique
B-Postal Ilha de Mo�ambique
C-Ilha de Mo�ambique
D-Ilha de Mo�ambique
E-Ilha de Mo�ambique
F-Ilha de Mo�ambique
G-Ilha de Mo�ambique
Gorongosa3b
H-Ilha de Mo�ambique
I-Ilha de Mo�ambique
J-Ilha de Mo�ambique
K-Fazenda Muchelia
L-Fazenda Muchelia
M-Fazenda Muchelia
N-Fazenda Muchelia
O-Fazenda Muchelia
P-Fazenda Muchelia
Q-Fazenda Muchelia
R-Fazenda Muchelia
S-Fazenda Muchelia
T-Fazenda Muchelia
U-Fazenda Muchelia
V-Reformados da fazenda
X-A caminho da fazenda
Z- A caminho da fazenda
ZAA- Chegada a Nampula
ZAB-Viagem Nampula-Ilha
ZAC-Viagem Nampula-Ilha
ZAD-Viagem Nampula-Ilha
ZAE-Viagem Nampula-Ilha
ZAF-Viagem Nampula-Ilha
ZAG-Viagem Nampula-Ilha
Eventos APM

Novas iniciativas da APM brevemente!

Donativos

Para promover o desenvolvimento cultural, cívico, económico e social de ambos os povos português e moçambicano torna-se necessário o seu contributo, o seu donativo, seja benemérito, apoie esta Associação transfira o seu valor pequeníssimo que seja, para as contas abaixo indicadas e dê-nos, se assim o entender, os seus elementos identificativos.

Banco Espírito Santo(BES)

 

NIB

 

0007 0404 00133490007 85

 
Ficha de Inscrição

Ficha de Inscrição para Sócios

Download versão docx

Download versão Word97/2003

    
Inicio

postheadericon Notícias

postheadericon 1ª Edição do Standard Bank - Acácias Jazz Festival arranca em Maputo

Oliver Mtukudzi e Judith Sephuma vão mais uma vez actuar em Maputo. O músico zimbabwiano e cantora sul-africana vão partilhar o palco com Jimmy Dludlu e Yolanda Kakana - estrelas de Jazz da África Austral, no primeiro evento clássico organizado pelo Standard Bank e o Município de Maputo em celebração do aniversário destas duas instituições. O evento visa promover a cultura moçambicana através da música, bem como, impulsionar o turismo nacional. Oliver Mtukudzi e os seus parceiros de palco garantem um show memorável e de muita interação com o público. Aliás é o reencontro de artistas que têm colaboração em discos já publicados. "Juntem-se a nós, são todos convidados. Eu sugiro que venham com sapatos de dança pois não vão só sentar e assistir. Vocês vão dançar. Dinamite é tudo quanto espero do show", referiu Oliver Mtukudzi. "Temos boas músicas que as pessoas conhecem e outras mais que vão amar. Tal como disse o Oliver, o show será igual a um dinamite", apontou Judith Sephuma. Por sua vez, a dona do sucesso xiluva, Yolanda Kakana disse na conferência de imprensa havida que "seleccionamos um repertório que é o resumo dos dois álbuns e espero que a partir deste show surjam futuras colaborações". Jimmy Dludlu, a figura de cartaz deste que é o primeiro concerto organizado pelo Standard Bank e o Município de Maputo, garante que "vai ser uma grande festa, por isso apelo que todos os fãs da música africana estejam em grande no show de amanhã". Para além dos músicos, estiveram na Conferência de Imprensa, os representantes do Ministério da Cultura e Turismo (MICULTUR) e Município de Maputo, respectivamente. Arnaldo Bimbe, representante do MICULTUR apela que mais instituições apostem na promoção da cultura como forma de impulsionar o negócio e a identidade Nacional. A equipa do O País, ficou a saber do representante do Conselho Municipal da Cidade de Maputo, Eldorado Dabula que a capital do país já está a candidatar-se para a Rede das cidades criativas na modalidade de música da UNESCO. "Isto significa que já atingimos um patamar que gostaríamos de estar na mesa dos grandes da música ao nível de África e do Mundo e oxalá que consigamos ser admitidos e passar a receber muito mais eventos para a nossa cidade das Acácias". O concerto está marcado para o início da noite, por volta das 19h no Hotel Polana Serena, e já conta com cerca de 800 pessoas.

 Fonte: O Pais

 

postheadericon Manica supera arrecadação de receitas

A província de Manica já superou a meta de arrecadação de receitas para os cofres do Estado para este ano, que estava fixada em dois milhões de meticais. Para a Autoridade Tributária, estes resultados advêm das campanhas de fiscalização e facturação, através das quais se pretende incrementar os níveis de cobrança de receitas. António Camacho, porta-voz da Autoridade Tributaria na região Centro do país, foi quem revelou a informação no quadro da visita efectuada pela Directora Regional da instituição à província de Manica para o acompanhamento das actividades do sector. Para Camacho, o alcance da meta deveu-se à campanha de fiscalização e facturação. Por outro lado, a autoridade tributária naquele ponto do país, faz uma avaliação positiva da campanha de selagem de bebidas ora em curso.

Fonte: O Pais

 

postheadericon Importação e exportação de pescado passam a usar JUE

De acordo com dados oficiais, numa primeira fase, que vai durar três meses, o processo deverá abranger somente a Cidade e Província de Maputo, onde vai decorrer a fase piloto, sendo que nos restantes pontos do país a implementação será antecedida de uma formação aos operadores do sector pesqueiro e despachantes aduaneiros. Para o efeito, o Instituto Nacional de Inspecção do Pescado (INIP), em parceria com as Alfândegas de Moçambique e a Mozambique Community Network (MCNet), operadora da JUE, realizou, na cidade de Maputo, um seminário com vista a colher a sensibilidade e subsídios dos operadores visando a melhoria do sistema. Na ocasião, o director nacional de Normação e Procedimentos Aduaneiros da Direcção-Geral das Alfândegas de Moçambique, Joaquim Macuácua, explicou que a adesão do INIP insere-se no âmbito das acções do Governo visando a incorporação de diversos serviços públicos na Janela Única Electrónica. A importação e exportação de produtos pesqueiros através da JUE vai permitir, de acordo com Joaquim Macuácua, “simplificar os procedimentos de desembaraço aduaneiro e reduzir a discrepância entre os dados fornecidos pelos diversos intervenientes no processo”. Por sua vez, a coordenadora da Janela Única Electrónica, Esmeralda Machel, afirmou que o uso deste sistema na importação e exportação de produtos pesqueiros resulta do processo de persuasão às entidades públicas, e não só, no sentido de aderirem à plataforma. “Estamos a coordenar com diversas instituições que intervêm no processo de comércio externo no sentido de aderirem à JUE, que é um sistema de gestão do processo de desembaraço de mercadorias”, disse Esmeralda Machel. Por seu turno, Lúcia Sumbana Santos, directora nacional do Instituto Nacional de Inspecção do Pescado, disse que o uso da JUE vai facilitar a captação de dados estatísticos, “o que ainda é um desafio para nós, pois muitas vezes a informação que nos é fornecida, por exemplo, pelas Alfândegas não coincide com a dos operadores”.

Fonte: O Pais

 
Ver Mais...
Faixa publicitária
Publicidade
Galeria de Eventos
  • "Moçambique - Imagens de um país real..." - Exposiçao de Fotografia de Ana Rita Martins

  • "Comemoração do Dia 4 de Outubro, Dia da Paz em Moçambique e Dia 5 de Outubro, Implantação da Republica"

  • Encontro Sectorial Moda AESE - 28 de Novembro
    Participação de
    duas estilistas
    Moçambicanas
    (Sheila e Adélia Tique)

  • "Escritaria 2011- Mia Couto com a participção da APM"!