Get Adobe Flash player
001_Postal
002_Postal
003_Postal
004_Postal
01 (2)
01
04
05
06 (2)
06
07 (2)
07
08
09
10
11
12 (2)
12
13
14
15
18
20
21
23
23042009069
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
38
39
40
41
42
43
44
45
A-Descri��o Ilha de Mo�ambique
B-Postal Ilha de Mo�ambique
C-Ilha de Mo�ambique
D-Ilha de Mo�ambique
E-Ilha de Mo�ambique
F-Ilha de Mo�ambique
G-Ilha de Mo�ambique
Gorongosa3b
H-Ilha de Mo�ambique
I-Ilha de Mo�ambique
J-Ilha de Mo�ambique
K-Fazenda Muchelia
L-Fazenda Muchelia
M-Fazenda Muchelia
N-Fazenda Muchelia
O-Fazenda Muchelia
P-Fazenda Muchelia
Q-Fazenda Muchelia
R-Fazenda Muchelia
S-Fazenda Muchelia
T-Fazenda Muchelia
U-Fazenda Muchelia
V-Reformados da fazenda
X-A caminho da fazenda
Z- A caminho da fazenda
ZAA- Chegada a Nampula
ZAB-Viagem Nampula-Ilha
ZAC-Viagem Nampula-Ilha
ZAD-Viagem Nampula-Ilha
ZAE-Viagem Nampula-Ilha
ZAF-Viagem Nampula-Ilha
ZAG-Viagem Nampula-Ilha
Eventos APM

Novas iniciativas da APM brevemente!

Donativos

Para promover o desenvolvimento cultural, cívico, económico e social de ambos os povos português e moçambicano torna-se necessário o seu contributo, o seu donativo, seja benemérito, apoie esta Associação transfira o seu valor pequeníssimo que seja, para as contas abaixo indicadas e dê-nos, se assim o entender, os seus elementos identificativos.

Banco Espírito Santo(BES)

 

NIB

 

0007 0404 00133490007 85

 
Ficha de Inscrição

Ficha de Inscrição para Sócios

Download versão docx

Download versão Word97/2003

    
Inicio

postheadericon Notícias

postheadericon Adérito Maundze expõe “Mulheres no espaço público”

A Minerva Central acolheu, uma exposição fotográfica intitulada “Mulheres no espaço público”, imagens feitas pelo fotógrafo moçambicano Adérito Maundze. São imagens que retratam o dia-a-dia de trabalho das mulheres que residem na cidade e província de Maputo. A ideia surge depois de Adérito acompanhar a rotina de trabalho da dona Cacilda, vendedeira de refeições no mercado Mandela, na baixa da cidade, desde a compra dos legumes e carnes, confecção dos alimentos até chegar ao prato do cliente. A jornada laboral da dona Cacilda é semelhante a de outras mulheres que trabalham no sector informal, o que inspirou o fotógrafo a capturar imagens, no seu espaço de trabalho. “Ver o trabalho da dona Cacilda chamou a minha atenção, parei para ver o trabalho duro que as mulheres fazem todos os dias, por isso as considero heroínas”, afirmou. Paula Magaia, que foi ver a exposição, diz que o trabalho das mulheres é visível e isso deve ser valorizado, melhorando primeiro as condições de trabalho no seu sector, desde melhores condições de transporte até melhores condições nos mercados. “Vemos todos os dias as mamãs no mercado, o que estas mulheres querem é sustentar suas famílias e isso é trabalho digno”, acrescentou Paula. Para tornar o momento mais especial, o evento contou com a performance da Banda As Marias, que abrilhantaram os convidados com a interpretação de “avasati” da artista moçambicana, Mingas.A exibição “Mulheres no espaço público”, que é organizada pelo Centro de Estudos Interdisciplinares de Comunicação, vai terminar a 27 deste mês.

Fonte: O Pais

 

postheadericon EDM lança projecto de reabilitação e Modernização dos centros de formação

Este financiamento insere – se no âmbito do Contrato de Redução da Dívida e de Desenvolvimento (C2D) assinado entre os dois Governos (Moçambique e Franca) a 20 de Julho de 2015. Desta vez, o donativo tem por objectivo de reforçar os dispositivos de formação dos quadros da EDM, sobretudo na componente vocacional no sector da eletricidade. De acordo com a administradora do pelouro do pessoal e serviços corporativos da EDM, Fátima Artur, este projecto vem responder aos objectivos definidos pela EDM bem como pelo Governo. “A EDM definiu três objectivos estratégicos para 2030: atingir o acesso universal do acesso a energia eléctrica, tornar Moçambique num polo regional de geração e trânsito de energia, atingir o índice de 40% dos trabalhadores do sexo feminino no universo dos recursos humanos da empresa, o que corresponde contratar mais de 600 mulheres para área técnica” lembrou a administradora. É na senda da transformação da EDM para o futuro que se enquadra a formação e criação de uma força de trabalho que possa responder a este futuro desafiador, que neste contexto, “a reabilitação e modernização dos centros de formação em Maputo e Chimoio assumem uma importância fundamental na estratégia de desenvolvimento dos nossos recursos humanos, principalmente na componente de treinamento vocacional”. Aliás, segundo Fátima Artur esta capacitação vai permitir a redução de custos que a EDM tinha para a formação e reciclagem do seu pessoal através, “da oferta de cursos vocacionais “in house”, na melhoria da qualidade dos cursos através da introdução de novos e modernos laboratórios e métodos pedagógicos”. Adicionalmente, a nossa interlocutora conta que esta reabilitação inclui a criação de dois centros onde a cultura empresarial e uma identidade EDM pode ser criada, disseminada e consolidada e, “onde as capacidades técnicas, intelectuais e manuais do nosso pessoal podem ser acarinhadas e desenvolvidas contribuindo, desta forma para a formação de uma força de trabalho capaz de responder aos desafios da transformação e, sobretudo, continuar nesta jornada para o futuro”. A representante regional da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), Martha Stein-Shochas, considera que o donativo alocado pela Agência para a reabilitação e modernização dos centros de formação da EDM vem consolidar os laços de cooperação que existem entre a EDM e a Agência durante os 15 anos. “Este projecto se inscreve na longa e histórica parceria com mais de 15 anos onde a EDM com dois projectos em curso, o de reabilitação da barragem hidroeléctrica de Mazuze, Chicamba e projecto e da eletrificação urbana nas cidades de Maputo, Matola e Pemba”, explicou a representante regional da Agência Francesa de Desenvolvimento, acrescentando que a Agência vai lançar concurso para um projecto de energia solar e eólica que deverá entrar em curso este ano, “relativamente a construção de uma central fotovoltaico no norte do país com uma capacidade de 41 megawatts”. Martha Stein-Shochas diz ainda que com o lançamento deste projecto de reabilitação e modernização dos centros de formação da EDM serve para reafirmar a disponibilidade da Agência em ajudar na formação do seu pessoal.

Fonte: O Pais

 

postheadericon Ausência de indústria de embalagens encarece bens alimentares

Um estudo da Gain revela que a ausência de uma forte indústria de embalagens contribuiu para o encarecimento dos produtos em Moçambique. Este estudo foi apresentado em Maputo numa mesa-redonda sobre a cadeia de valor dos sistemas alimentares. Segundo dados do Ministério da Indústria e Comércio e do Instituto Nacional de Estatística, Moçambique tem 71 empresas de produção de embalagens. Deste número, dois terços estão localizados na cidade e província de Maputo. Segundo um estudo da Gain, as empresas existentes ainda não respondem as necessidades do mercado. Esta iniciativa visa estimular o crescimento da indústria de embalagens. Dados presentes no estudo revelam que em 2016 a importação de embalagens chegou a cifra de 100 milhões de dólares.

Fonte: O Pais

 
Ver Mais...
Faixa publicitária
Publicidade
Galeria de Eventos
  • Reabertura do Bar Espaço Moçambique

  • "Moçambique - Imagens de um país real..." - Exposiçao de Fotografia de Ana Rita Martins

  • "Comemoração do Dia 4 de Outubro, Dia da Paz em Moçambique e Dia 5 de Outubro, Implantação da Republica"

  • Encontro Sectorial Moda AESE - 28 de Novembro
    Participação de
    duas estilistas
    Moçambicanas
    (Sheila e Adélia Tique)