Get Adobe Flash player
001_Postal
002_Postal
003_Postal
004_Postal
01 (2)
01
04
05
06 (2)
06
07 (2)
07
08
09
10
11
12 (2)
12
13
14
15
18
20
21
23
23042009069
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
38
39
40
41
42
43
44
45
A-Descri��o Ilha de Mo�ambique
B-Postal Ilha de Mo�ambique
C-Ilha de Mo�ambique
D-Ilha de Mo�ambique
E-Ilha de Mo�ambique
F-Ilha de Mo�ambique
G-Ilha de Mo�ambique
Gorongosa3b
H-Ilha de Mo�ambique
I-Ilha de Mo�ambique
J-Ilha de Mo�ambique
K-Fazenda Muchelia
L-Fazenda Muchelia
M-Fazenda Muchelia
N-Fazenda Muchelia
O-Fazenda Muchelia
P-Fazenda Muchelia
Q-Fazenda Muchelia
R-Fazenda Muchelia
S-Fazenda Muchelia
T-Fazenda Muchelia
U-Fazenda Muchelia
V-Reformados da fazenda
X-A caminho da fazenda
Z- A caminho da fazenda
ZAA- Chegada a Nampula
ZAB-Viagem Nampula-Ilha
ZAC-Viagem Nampula-Ilha
ZAD-Viagem Nampula-Ilha
ZAE-Viagem Nampula-Ilha
ZAF-Viagem Nampula-Ilha
ZAG-Viagem Nampula-Ilha
Eventos APM

Novas iniciativas da APM brevemente!

Donativos

Para promover o desenvolvimento cultural, cívico, económico e social de ambos os povos português e moçambicano torna-se necessário o seu contributo, o seu donativo, seja benemérito, apoie esta Associação transfira o seu valor pequeníssimo que seja, para as contas abaixo indicadas e dê-nos, se assim o entender, os seus elementos identificativos.

Banco Espírito Santo(BES)

 

NIB

 

0007 0404 00133490007 85

 
Ficha de Inscrição

Ficha de Inscrição para Sócios

Download versão docx

Download versão Word97/2003

    
Inicio

postheadericon Notícias

postheadericon Festival Nacional Music Crossroads

Inhambane recebe em frente do Cine Tofo a edição deste ano do "Festival Nacional Music Crossroads", que pretende revelar mais talentos para a música moçambicana. Trata-se de uma fase final que foi precedida por apuramentos de finalistas, primeiro nas províncias e depois nas regiões sul, norte e centro do país. Deste modo, disputam o maior prémio do Crossroads os grupos Gresses e Tudúlos, que representam a zona norte, Ussundji e Cassupe Djazz Band, a zona centro, Nandov, Solistas e Massala Bnd júnior, a zona sul. Por ser anfitriã, a província de Inhambane terá jovens artistas seus nesta final do festival. Os dois dias do Music Crossroads comportarão também “workshops” e concursos para promover do tradicional ao contemporâneo/urbano da música jovem moçambicana, que culminarão com a escolha de dois grupos que irão representar Moçambique no Festival Inter-regional, a realizar-se em Dar-es-Salaam, na Tanzania, entre 15 e 18 deste mês. O concurso é uma iniciativa de capacitação da juventude através da música e engloba cinco países da África Austral: Moçambique, Malawi, Tanzania, Zâmbia e Zimbabwe, para além de estar em expansão para a África Ocidental. O programa visa criar estruturas musicais sustentáveis nos países alvo, melhorar a auto-confiança e a inclusão social dos jovens. Promove o género através da participação das jovens artistas em bandas musicais como executantes de instrumentos musicais; e sensibilização em matéria do HIV/SIDA, visto que estes são um dos grupos mais afectados. É realizado pela Music Crossroads Moçambique e conta com o apoio institucional do Ministério da Juventude e Desportos e parceria com a Associação dos Músicos Moçambicanos.

 

Fonte: Noticias

 

postheadericon Novo operador móvel em Moçambique - concurso com muita afluência

Vinte e duas empresas nacionais e internacionais compraram cadernos de encargos no concurso de terceira operadora de telemóveis em Moçambique, cujas propostas deverão ser apresentadas até segunda-feira, disse uma fonte ligada ao processo. O director-geral do Instituto Nacional de Comunicações de Moçambique (INCM), Américo Muchanga, referiu que o registo empresas que compraram cadernos de encargos no concurso será conhecido na terça-feira. O responsável escusou-se, no entanto, adiantar nomes dos outros proponentes. A primeira fase do concurso arrancou a 6 de Abril do corrente ano. Actualmente, Moçambique tem duas operadoras de rede móvel: a mCel, que é controlada pela empresa estatal Telecomunicações de Moçambique, com quatro milhões de clientes, e a Vodacom, consórcio moçambicano e sul-africano, com 47 por cento da quota do mercado. Há um ano, o governo moçambicano autorizou a entrada de um terceiro operador de telefonia móvel para “responder à procura” dos clientes, sustentando que em Moçambique ainda “existem condições” para a entrada de um novo operador no crescente mercado. Segundo dados do INCM, instituição reguladora do sector, mais de 27 por cento da população moçambicana já tem telemóvel, mas o mercado está em fase de crescimento.

 

Fonte: Noticias   

 

postheadericon Visita do Ministro das Obras Públicas Português a Moçambique

O ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações de Portugal, António Mendonça, considera "positiva" a participação das empresas portuguesas em Moçambique, minimizando o impacto de entrada de firmas chinesas no país. "Não tenho qualquer temor em relação às empresas chinesas" em Moçambique, disse aos jornalistas o titular da pasta das Obras Públicas, Transportes e Comunicações de Portugal. António Mendonça iniciou em Maputo uma visita de dois dias a Moçambique, destinada a avaliar o grau de implementação dos acordos entre os dois países no sector dos transportes e comunicações, especialmente na gestão de infra-estruturas (aeroportuárias, portuárias e ferroviárias). Em declarações à imprensa sobre a presença massiva de empresas chinesas, numa altura em que Portugal aposta na parceria com Moçambique na área de infra-estruturas, António Mendonça garantiu que Portugal pode oferecer "competência muito significativa" comparada com a China. "Podemos oferecer um conhecimento muito grande da realidade moçambicana, competências e qualidade. Portugal está no processo de modernização". "Naturalmente, cada um oferece aquilo que pode dentro das suas capacidades". Por outro lado, António Mendonça, defendeu que Portugal pode ter «um papel muito importante em termos de formação» na área da gestão portuária em Moçambique. O governante português falava durante uma visita ao porto de Maputo, destinada a conhecer a estrutura mas também a avaliar «as possibilidades que existem em termos de desenvolvimento da cooperação» entre Portugal e Moçambique na área dos portos. O governo de Maputo, acrescentou, já definiu como uma das prioridades o desenvolvimento dos portos e do transporte marítimo. Portugal e Moçambique assinaram em Maputo uma acta que estabelece o plano de actividades para a cooperação em áreas como a indústria naval e os transportes aéreos, marítimos, rodoviários e ferroviários, centrada na formação.

Fonte: Rádio Mz 

 
Ver Mais...
Faixa publicitária
Publicidade
Galeria de Eventos
  • Conversa com o músico moçambicano Patxutxu:
    “ A vida de um artista Moçambicano em Portugal!”

  • Reabertura do Bar Espaço Moçambique

  • "Moçambique - Imagens de um país real..." - Exposiçao de Fotografia de Ana Rita Martins

  • "Comemoração do Dia 4 de Outubro, Dia da Paz em Moçambique e Dia 5 de Outubro, Implantação da Republica"