Get Adobe Flash player
001_Postal
002_Postal
003_Postal
004_Postal
01 (2)
01
04
05
06 (2)
06
07 (2)
07
08
09
10
11
12 (2)
12
13
14
15
18
20
21
23
23042009069
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
38
39
40
41
42
43
44
45
A-Descri��o Ilha de Mo�ambique
B-Postal Ilha de Mo�ambique
C-Ilha de Mo�ambique
D-Ilha de Mo�ambique
E-Ilha de Mo�ambique
F-Ilha de Mo�ambique
G-Ilha de Mo�ambique
Gorongosa3b
H-Ilha de Mo�ambique
I-Ilha de Mo�ambique
J-Ilha de Mo�ambique
K-Fazenda Muchelia
L-Fazenda Muchelia
M-Fazenda Muchelia
N-Fazenda Muchelia
O-Fazenda Muchelia
P-Fazenda Muchelia
Q-Fazenda Muchelia
R-Fazenda Muchelia
S-Fazenda Muchelia
T-Fazenda Muchelia
U-Fazenda Muchelia
V-Reformados da fazenda
X-A caminho da fazenda
Z- A caminho da fazenda
ZAA- Chegada a Nampula
ZAB-Viagem Nampula-Ilha
ZAC-Viagem Nampula-Ilha
ZAD-Viagem Nampula-Ilha
ZAE-Viagem Nampula-Ilha
ZAF-Viagem Nampula-Ilha
ZAG-Viagem Nampula-Ilha
Eventos APM

Novas iniciativas da APM brevemente!

Donativos

Para promover o desenvolvimento cultural, cívico, económico e social de ambos os povos português e moçambicano torna-se necessário o seu contributo, o seu donativo, seja benemérito, apoie esta Associação transfira o seu valor pequeníssimo que seja, para as contas abaixo indicadas e dê-nos, se assim o entender, os seus elementos identificativos.

Banco Espírito Santo(BES)

 

NIB

 

0007 0404 00133490007 85

 
Ficha de Inscrição

Ficha de Inscrição para Sócios

Download versão docx

Download versão Word97/2003

    
Inicio

postheadericon Notícias

postheadericon Arranca este ano a construção da Central Solar de Metoro em Cabo Delgado

Arranca este ano a construção da Central Solar do posto administrativo de Metoro distrito de Ancuabe província de Cabo Delgado num investimento de 76 milhões de dolares. O PCA da EDM Ali Sicola diz que a infraestrutura vai reduzir défice da energia nas regiões centro e norte de  150 para 100 megawatts. Tal como Mocuba na Zambézia, a província de cabo delgado vai beneficiar de construção de uma central solar que estará localizado no posto administrativo de Metoro distrito de Ancuabe. A informação foi anunciada pelo PCA da EDM a margem da inauguração da central solar de Mocuba. Ali Sicola fez saber que neste momento as regiões Centro e Norte estão com disponibilidade de energia da rede nacional de 3040 mega watts e com défice de 150 mega watts. Sicola diz que os investimentos virados para a construção de centrais solares, gás e carvão tem em vista a disponibilização de energia não só para Mega projectos mas também para cidadãos nacionais.

Fonte: O Pais

 

postheadericon Nacala-a-Velha terá central termoeléctrica a partir de 2022

Obras de construção da central termoeléctrica a carvão no distrito de Nacala-a-Velha, na província de Nampula, deverão estar concluídas em 2022. O empreendimento prevê gerar 200 megawatts para suprir o défice enérgico naquele ponto do país. Há anos que Nampula debate-se com sérios problemas de corrente eléctrica. A disponibilidade de energia é de apenas 42 megawatts, muito aquém das necessidades do consumo, que em 2023 estará em torno de 115 megawatts, segundo estimativas do Plano Director da Electricidade de Moçambique (EDM). É neste contexto do défice energético, que a Somagec Moçambique, uma subsidiária da Corporação de Engenharia de Energia da China (CEEC), em cooperação com a EDM vão instalar uma central termoeléctrica a carvão no distrito de Nacala-a-Velha, em Nampula, com uma capacidade de produção de 200 megawatts. Orçado em cerca de 21.7 biliões de meticais, as obras de construção do empreendimento deverão estar concluídas em 2022, de acordo com o cronograma do projecto consultado pelo “O País”. Só na fase de construção da central, espera-se a criação de 1.850 empregos directos, 11.500 empregos indirectos e 45 mil laborais induzidos. Já na fase de operação e manutenção, prevê-se a geração de 300 empregos directos, 1.860 empregos indirectos e 7.300 empregos induzidos. Em termos de matéria-prima, a central termoeléctrica de Nacala-a-Velha será alimentada pelo carvão extraído pela mineradora brasileira Vale em Moatize (província de Tete) e transportado a uma distância de aproximadamente 3,5 quilómetros. Enquanto aguarda pela “luz verde”, ou seja, da aprovação do Estudo de Impacto Ambiental (EIA), pelo Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural (MITADER), a avaliação preliminar do Estudo de Pré-Viabilidade Ambiental e Definição de Âmbito (EPDA) adianta que o projecto é viável. “Os estudos e investigações efectuados no âmbito deste EPDA não identificaram qualquer falha fatal que possa impedir o avanço do Projecto. Contudo, as principais questões identificadas incluem potenciais impactos associados a emissões atmosféricas, geração de ruído, gestão de resíduos e a aspectos socioeconómicos, que deverão ser investigados e avaliados em mais detalhe durante a fase do Estudo de Impacto Ambiental”, lê-se no relatório da IMPACTO, consultora contratada para fazer o levantamento dos possíveis impactos do projecto da central termoeléctrica a carvão no distrito de Nacala-a-Velha.

Fonte: O Pais

 

postheadericon Aldino Muianga lança Asas quebradas e participa na Bienal do Ceará no Brasil

De Pretória para Ceará. Este é o trajecto de Aldino Muianga nos próximos dias. Da capital sul-africana, o escritor segue viagem para, no Brasil, participar na XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará, evento a realizar-se de 16 a 25 deste mês, com o lema "As cidades e os livros". Na bienal que harmoniza educação, cultura, conhecimento, economia e cidadania, segundo a organização, com a pretensão de contribuir para a reinvenção da vida por meio da palavra em suas múltiplas possibilidades, o escritor moçambicano vai lançar a versão brasileira de Asas quebradas, sob a chancela da editora Kapulana. Além de apresentar ao público brasileiro o romance já lançado em Moçambique pela Cavalo do Mar, Aldino Muianga estará no “Encontro de oralidade e escrita”, às 18h do dia 21 e 24, para falar de “A cidade africana e suas estórias”, sessão que, no primeiro dia, terá moderação de Andrea Muraro, e, no segundo, de Sueli Saraiva. No dia 25, Muianga participará na “Oralidade, ancestralidade e mestres da cultura”, entre 13h30 e 16h, numa sessão subordinada ao tema “O corpo é um texto, a vida alegria (O corpo, arte, alegria e memórias)” e que terá moderação de Dane de Jade. De acordo com Aldino Muianga, esta sua viagem à XIII Bienal Internacional do Ceará representa uma excelente oportunidade para a divulgação da sua obra e para interacção com outros escritores pertencentes da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP): “A minha participação naquele evento contribuirá, estou certo, para o alargamento do conhecimento sobre a Literatura que se produz em Moçambique em particular e seus autores”. Aldino Muianga afirma que é uma grande honra ter sido seleccionado pela editora  Kapulana para a representar na Bienal deste ano no seio de um painel de escritores de prestígio internacional e com vasta experiência em literatura. “Desconheço quais foram os critérios, mas a minha alegria é manifesta”, proferiu o autor que deverá permanecer em Fortaleza, a capital do Estado de Ceará, por sete dias.

Fonte: O Pais

 
Ver Mais...
Faixa publicitária
Publicidade
Galeria de Eventos
  • Conversa com o músico moçambicano Patxutxu:
    “ A vida de um artista Moçambicano em Portugal!”

  • Reabertura do Bar Espaço Moçambique

  • "Moçambique - Imagens de um país real..." - Exposiçao de Fotografia de Ana Rita Martins

  • "Comemoração do Dia 4 de Outubro, Dia da Paz em Moçambique e Dia 5 de Outubro, Implantação da Republica"